Language:
Texto original escrito em inglês. Todas as traduções foram feitas usando IA
00:00

Notícias e editorial

VOLTAR PARA NOTÍCIAS

agosto 30, 2023

Rodney Saville Sneath FRCS e Professor John Scales FRCS

“O mundo não é limitado pelo QI. Todos nós somos limitados pela bravura e pela criatividade”

Astro Teller Empreendedor, cientista da computação e autor.

Os nomes e as realizações dos gigantes da ortopedia do séculoXX são bem conhecidos de todos. Dificilmente ainda se pode ter uma conversa profissional sobre substituição total do quadril sem mencionar Sir John Charnley ou, na substituição do joelho, John Insall. Na área de trauma, o legado de Maurice Muller e do Grupo AO na transformação da ciência e do arsenal cirúrgico para o tratamento de fraturas ortopédicas é facilmente acompanhado pelo gênio individual de Gregor Ilizarov na recuperação de membros. As condições ortopédicas às quais eles dedicaram suas vidas eram muito comuns e, por isso, suas inovações marcantes foram “escalonáveis” e se prestaram à adoção mundial pelos cirurgiões menores que os seguiram. Em contraste, os tumores musculoesqueléticos são condições muito incomuns para as quais os melhores resultados foram alcançados apenas pela concentração da experiência necessária em unidades especializadas em todo o mundo. O domínio das técnicas cirúrgicas necessárias e a logística necessária para obter os melhores resultados não é algo que se presta a uma ampla divulgação. Um resultado inevitável desses fatos significa que os pioneiros da oncologia cirúrgica ortopédica, cujas realizações são igualmente notáveis, permanecem muito menos conhecidos.

Na década de 1970, a perspectiva para pacientes com tumores ósseos era desanimadora, com taxas de mortalidade e morbidade muito altas, e a operação padrão geralmente era a amputação. Dois cirurgiões ortopédicos, Rodney Saville Sneath, do Royal Orthopaedic Hospital, em Birmingham, e o professor John Scales , do Royal National Orthopaedic Hospital, em Stanmore, no Reino Unido, recusaram-se a aceitar esse status quo e começaram a fundar os princípios da moderna cirurgia de salvamento de membros na oncologia ortopédica. Eles colaboraram com o conceito, o projeto e a execução bem-sucedida de endopróteses grandes como uma alternativa viável à amputação e transformaram progressivamente o cenário para pacientes oncológicos ortopédicos. Onde antes a amputação era a principal opção, agora, na prática moderna, sua indicação foi reduzida para aproximadamente 15% dos casos de doenças primárias e recorrentes. Seu legado tem sido ainda maior, com as endopróteses tendo entrado na corrente principal e transformando o que pode ser alcançado na substituição da articulação de revisão.

Este mês, do catálogo antigo da Bone & Joint Journals, temos o prazer de republicar dois excelentes artigos de visão geral sobre a área de tumores ortopédicos ósseos e de tecidos moles, um deles abordando as opções mais recentes para a cirurgia de salvamento de membros e o outro, uma leitura importante para lembrar a todos os cirurgiões ortopédicos de como o sarcoma de tecidos moles pode ser uma armadilha para os incautos. O catálogo do Bone and Joint Journals contém uma riqueza de mais de 800 artigos acadêmicos revisados por pares somente em oncologia ortopédica, de 1948 até hoje, e o acesso completo a esse recurso definitivo deve ser um requisito para qualquer cirurgião ortopédico em atividade.

Credenciamentos

Logo Logo Logo Logo Logo Logo Logo Logo Logo

Associates & Partners

Logo Logo Logo Logo Logo Logo Logo
Textbook cover image Voltar para
Livro-texto Orthosolutions Roundtable